CRÍTICA | “Você nem Imagina” o quão especial é o novo filme da Netflix

CR'ITICA | Voc^e nem Imagina o qu~ao especial 'e o novo filme da Netflix photo 0 3T INDICA
Siga e Compartilhe:

Você Nem Imagina“, ou “The Half of It“, é o mais novo drama-comédia-romântica adolescente original da Netflix. O filme protagonizado por Leah Lewis, Daniel Diemer e Alexxis Lemire teve a belíssima direção de Alice Wu. 

Antes de mais nada, acho que é necessário dizer que o filme é uma surpresa em relação ao que foi divulgado dele antes de sua estreia no catálogo. Uma surpresa boa, aviso de antemão. Visto que o trailer e as informações que foram divulgadas anteriormente davam a entender que o filme seria uma típica comédia-romântica LGTB, o que definitivamente este filme não é.

Sim, há o sentimento entre as duas personagens principais do filme. Há o amor e a confusão de se esconder atrás das palavras ditas por outro alguém, há atos românticos extravagantes, há o medo, a dúvida, as atrapalhadas. Tudo isso consta no filme, mas ele não se resume a isso e muito menos tem isto como pauta principal.

O enredo vai além do romance platônico entre uma nerd introspectiva e a garota popular. Este é um filme sobre auto-descobrimento, de todos os envolvidos na história, não só da protagonista. É um filme sobre caminhada, sobre os nossos conceitos do que é amar alguém, sobre saber se quem você é não é algo implementado por outro alguém ou se é realmente quem você é. Este é um filme que quebra as barreiras do óbvio e do esperado em sua melhor forma de clichê.

Apesar de que foi dito, o filme não é um quebra cabeças doloroso e difícil de assistir, longe disso. “Você Nem Imagina” é uma jornada sensível, deliciosa e incrivelmente inteligente. Há cenas onde suspiramos de amor, rimos dos desastres e desejamos ter o que eles têm quando adolescentes.

READ  FESTIVAL ELOS | Vanessa da Mata é atração confirmada do Festival em Fortaleza

A protagonista é uma personagem interessante de ser ouvida e vista, de ser explorada e dissecada. O que a leva ganhar um contraste filosófico. Apesar de ser detentora de tanta sabedoria literária ou das dores que a vida lhe trouxe, Ellie no começo de sua jornada ainda é imatura, ainda é uma adolescente dentro de uma casca impenetrável.

Enquanto o filme retrata o amadurecimento e o desenvolvimento de Ellie Chu, ele também explora o nascimento da amizade entre ela e Paul. Outro adolescente imaturo. Mesmo que em universos diferentes, os dois se encontram na inexperiência e no escuro que o medo do desconhecido provoca. A dinâmica e a evolução dos dois em sua amizade improvável os amadurece e ajuda a se livrarem das cascas que criaram no decorrer de suas vidas.

O filme também é sobre a amizade e o seu conceito mais puro.

Em contra partida, também podemos observar Aster, a garota popular, com um dilema parecido visto em outros filmes. A solidão. Cercada por muitos mas entendida por ninguém, previsível né? Era isso que eu achei no começo, mas felizmente, o filme se distancia do óbvio. Aster, mesmo que vivendo em um mundo diferente de Ellie se encontra na mesma situação, onde é colocada em um patamar de sua vida contra sua vontade mas em prol a família.

Ainda que Ellie tenha se descoberto corajosa antes de Aster, a jovem não deve ter seu mérito arrancado de si. Sua jornada foi regida por mentiras e mesmo assim a aspirante a pintora consegue tirar a sua verdade dentro disso.

Viver dentro de um paradigma regido pela crença faz com que seja mais difícil descobrir de fato qual é a sua identidade, e é sobre isso que o filme também é.

READ  FILMES | Confira o primeiro trailer de “Godzilla vs. Kong”

A religião e a crença rodeia a história de modo em que refletimos sobre o que é certo ou errado, o que devemos e podemos julgar e o que está fora do nosso alcance.

O filme também é sobre o amor.

“O amor não é paciente, bondoso e humilde. O amor é complicado, é horrível, egoísta e ousado.”

Ellie Chu

Ao nos livramos das correntes que nos atrasam, o filme mostra que isso é o verdadeiro ato de amor, por nós mesmos e pelos que nos cercam.

Enxergar o outro com um olhar carinhoso e real, enxergar o outro pelo que é, ou apenas enxergar o outro já é um ato de amor. Ter o cuidado e a sabedoria pra ver que o amor vai além do que você sente e sim o melhor pra quem você ama. O filme traz isso através das amizades e das relações familiares.

Vale mencionar que a dinâmica entre  Leah Lewis e Alexxis Lemire é de arrancar suspiros, fazendo com que queiramos ver (viver) mais do romance clichê que presenciamos nascer em tela. Diga-se de passagem que a cena do lago é tão intensa e intima, que a tensão poderia ser cortada com uma faca. Porém, é o que já foi dito, o filme transcende a relação das duas, ou que há de vir. (mas bem que a netflix poderia fazer a continuação com as duas hein)

A jornada e a conclusão de “Você Nem Imagina” é madura, sensível, inteligente e realista. Por mais que eu estivesse ansiosa por uma comédia romântica teen bem clichê, eu não trocaria esta obra por nenhuma outra. A surpresa foi definitivamente incrível.

Você Nem Imagina” está disponível na Netflix.

Autor do Post:

Ludmilla Maia

Estudante da U.A, protegida da Annalise Keating, cantora amadora dos New Directions, sobrevivente da ilha de Lost, parça do Bojack, e uma Amazona perdida que ouve KPOP e assiste muito drama asiático.

READ  ESPECIAL LOKI | A bissexualidade não é novidade na história do personagem
Rate article