FILMES | Ray Fisher faz denuncia de racismo durante as refilmagens de Liga da Justiça

Siga e Compartilhe:

Em entrevista à  Forbes, Ray Fisher  denunciou que houve racismo contra membros que participaram das refilmagens do filme da Liga da Justiça em 2017:

“A remoção de pessoas de cor da versão cinematográfica da Liga da Justiça em 2017 não foi um acidente nem uma coincidência.

O que deixou minha alma em chamas e me forçou a falar sobre Joss Whedon foi o fato de eu ter sido informado de que Joss ordenou que a importância de um ator de cor fosse mudada na pós-produção porque ele não gostava da cor de seu tom de pele.

Cara, com tudo que 2020 foi, esse foi o ponto de inflexão para mim. Antes do processo de refilmagem da Liga da Justiça, conversas abertamente racistas foram mantidas e entretidas – em várias ocasiões – por ex e atuais executivos de alto nível da Warner Bros.

Os tomadores de decisão que participaram dessas conversas racistas foram Geoff Johns, Jon Berg e o atual presidente do Warner Bros. Pictures Group, Toby Emmerich.

Percebi que as anotações que acabei recebendo de Johns durante as refilmagens eram apenas uma versão codificada das coisas racistas que ele dizia a portas fechadas com os outros executivos.

Muito do que esses caras estavam fazendo era um esforço para evitar serem despedidos durante a fusão da AT&T com a Time Warner. Pretendo ser muito mais específico sobre cada um desses caras depois que a investigação terminar – esta entrevista é apenas uma versão resumida.

Nada do que estou compartilhando nesta entrevista é novidade para o RH da Warner Bros, nem deveria ser novidade para a WarnerMedia. Eu relatei quase tudo a eles em julho – incluindo o envolvimento de Emmerich. O fato de eu ter que defender a mim mesmo dessa forma é em partes iguais libertador e frustrante.”

READ  SÉRIES | Disney+ deu início às gravações da nova produção original brasileira, Mila no Multiverso

Fisher detalha muitos outros exemplos de má conduta flagrante que ele diz que a WarnerMedia está ciente. E quanto à retaliação, o ator da Liga da Justiça está ciente de que sua carreira pode ser prejudicada depois de falar.

Antes do lançamento de Liga da Justiça em 2017, Snyder se afastou do projeto devido ao suicídio de sua filha. Como a produção do filme não estava completa na época, a Warner Bros. contratou Whedon para supervisionar as refilmagens.

Autor do Post:

Guilherme Simões

Estudante de publicidade, fotógrafo amador, podcaster nas horas vagas, entusiasta de futebol americano, e em busca da pizza perfeita.

Rate article