3T INDICA | “Gibi de mulherzinha”? 5 HQs feitas por mulheres para você se surpreender

3T INDICA | Gibi de mulherzinha? 5 HQs feitas por mulheres para voc^e se surpreender image 0 3T INDICA
Siga e Compartilhe:

Ser mulher não é fácil, imagina ser mulher e produzir conteúdo considerado “nerd” num meio que, em pleno século XXI, ainda é muito machista? Pois é, quando se trata de cultura pop, especificamente esse mundo de super-heróis, quadrinhos e tudo o mais, ser mulher e participar ativamente do meio é precisar o tempo todo se provar competente e às vezes ter que suportar comentários do tipo “Eu duvido que você realmente entenda do assunto!”, “Ah pronto! Isso aqui se tornou ambiente de mulherzinha agora?”, “Você curte mesmo *insira assunto X aqui*? Então me diz o ano do nascimento e o RG da mãe do criador, blá blá blá…”. Parece engraçado, não é mesmo? Mas não é. É cansativo, desanimador e às vezes, até mesmo assustador.

Apesar de toda a parte ruim, muitas mulheres seguem carreira nesse meio e no 3T Indica de hoje teremos indicação de 5 histórias em quadrinhos escritas e produzidas por mulheres brasileiras.

 

Vidas Imperfeitas

Foto Reprodução:Mary Cagnin, 2018.

Sinopse:

“Juno Omura não é uma garota como outra qualquer. Todos a conhecem por ser violenta, impaciente e impulsiva, o que afasta as pessoas dela. Entretanto, existe muito mais dentro dela do que se pode imaginar, cabendo apenas a Daniel descobrir os motivos de sua atitude e seu tenebroso passado.”

“Uma história sobre amor, amizade, família e liberdade.” Vidas Imperfeitas é o quadrinho de estreia da Mary Cagnin como quadrinista, que queria criar uma personagem feminina que fosse totalmente diferente dos estereótipos presentes na maioria dos quadrinhos que se encontravam na época. Assim, em 2008 ela publica o Vidas Imperfeitas pela primeira vez em sua página do DevianArt. A primeira edição foi publicada em formato fanzine em 2009 e entre 2009 e 2010 foram publicadas 6 edições do arco principal da história. Em 2018, quando o quadrinho completou 10 anos, a autora lançou uma edição comemorativa com o copilado de todas as edições do arco principal, histórias secundárias e as páginas inéditas com os personagens adultos hoje.

Vidas Imperfeitas, apesar de iniciar como uma história adolescente, aborda temas como o quão importante é você falar sobre seus sentimentos para que eles não engulam você.

Você pode ler online ou comprar a edição especial clicando aqui.

 

Gibi de Menininha 1 e 2

Foto Reprodução:Germana Viana et al.,Editora Zarabatana Books, 2018 e 2019.

3T INDICA | Gibi de mulherzinha? 5 HQs feitas por mulheres para voc^e se surpreender image 1

Atenção: o conteúdo destes quadrinhos é recomendado para maiores de 18 anos.

Sinopse:

“Organizado e editado por Germana Viana, Gibi de Menininha começou como uma piada e terminou virando uma ótima desculpa para reunir amigas numa produção conjunta que contraria a ideia preguiçosa de que uma determinada categoria pode ou não ser uma característica nas produções dos quadrinhos feitos por mulheres num pequeno panorama da produção feminina e, ainda, da diversidade de estilos de terror.”

Cheio de humor e histórias arrepiantes, Gibi de Menininha: Historietas de Terror e Putaria é a primeira edição desse projeto, com 6 histórias produzidas pelas artistas Germana Viana, Carol Pimentel, Roberta Cirne, Clarice Franca, Mari Santtos, Renata CB Lzz, Ana Recalde, Talessa K, Milena Azevedo, Fabiana Signorini, Katia Schittine, Camila Suzuki e Camila Torrano. O projeto foi vencedor de 2 prêmios: Melhor Lançamento de 2018, pelo Troféu Angelo Agostini, e Melhor Publicação Mix, pelo Troféu HQMix.

A segunda edição do projeto, Gibi de Menininha 2: O Faroeste É Mais Embaixo, tem a mesma pagada da primeira edição, porém com histórias que se passam no Velho Oeste e nesta edição, as histórias estão ainda mais assustadoras que a primeira! As quadrinistas participantes são: Camila Suzuki, Clarice França, Dane Taranha, Fabiana Signorini, Germana Viana, Juliana Loyola, Katia Schittine, Milena Azevedo, Rebeca Puig, Renata CB Lzz, Roberta Cirne, Sueli Mendes e Camila Torrano. 

Brincando com os estereótipos de que mulher não sabe ser quadrinista e muito menos escrever terror, as participantes desse projeto provam, mesmo sem precisar provar nada pra ninguém, que esse rótulo não serve em nenhum gênero.

Você pode comprar as HQs clicando aqui e aqui.

 

Black Silence

Foto Reprodução:Mary Cagnin, 2016.

Sinopse:

“No futuro, a Terra está com os dias contados. Uma equipe de astronautas é convocada para fazer reconhecimento de um planeta que pode ser a única chance de sobrevivência dos seres humanos. Lucas é um exobiólogo renomado que se encontra numa situação complicada e sua carreira está por um triz. O destino o leva até Nee, uma militar com uma reputação e tanto, que o faz uma proposta irrecusável. O que ele não sabe é que esta missão mudará tudo o que ele acreditava um dia ser verdade.”

3T INDICA | Gibi de mulherzinha? 5 HQs feitas por mulheres para voc^e se surpreender image 2

Primeiro quadrinho de ficção científica da Mary Cagnin, Black Silence traz uma pauta interessante sobre o futuro da humanidade. Um futuro distópico cheio de incertezas que deixa o leitor preso à história e às vezes até aflito, pois não é uma história feliz. A Terra está morrendo e a missão para salvá-la pode ser a última e os integrantes dessa missão não podem falhar.

Vencedor do Troféu Angelo Agostini em 2016 na categoria Melhor Desenhista e indicado a mais 3 categorias no Troféu HQMix, você pode encontrar para comprar ou ler online clicando aqui.

 

Tina: Respeito

Foto Reprodução:Fefê Torquato,Editora Panini, 2019.

Sinopse:

“Jornalista recém-formada, Tina finalmente realiza o sonho de trabalhar em uma redação. Ela só não esperava que seu maior desafio fosse ser pessoal, e não profissional. Em Respeito, Fefê Torquato usa a clássica personagem de Mauricio de Sousa para expor um problema que mulheres enfrentam dia a dia, e precisa acabar: o assédio.”

Muito além do entretenimento, em Tina: Respeito é um serviço de utilidade pública. Trata do assédio de forma responsável, mostrando o quanto essa situação é complicada de lidar, mas que quem sofre esse tipo de abuso não está só. E mostra também entrelinhas o que é assédio na rua, o medo constante de ser mulher e morar sozinha, precisar tomar sempre cuidado e estar sempre alerta.

Feito quase que exclusivamente a mão, a edição é colorida em capa dura e você pode comprar clicando aqui.

 

E aí, você já leu alguma dessas histórias em quadrinho dessa lista? Se interessou em alguma? Tem alguma para indicar? Deixe nos comentários!

 

Autor do Post:

Jessica Rodrigues

http://instagram.com/jess.cah

Engenheira florestal e ilustradora botânica que bebe mais café do que deveria e ainda tá aprendendo a viver no mundo pós Orkut. Apaixonada por Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, às vezes acho que sou a própria Clementine e às vezes, sou o Joe. Tentando seguir a filosofia de Capitão Fantástico: “Power to the people! Stick it to the man!”

    Rate article