ESPECIAL DIA DO LEITOR | Conheça os livros favoritos da equipe da Tribernna

Siga e Compartilhe:

O Dia do Leitor, celebrado nesta quinta-feira, 7 de janeiro, já está chegando ao fim. Mais cedo, disponibilizamos uma matéria com cinco dicas de livros curtos para quem quisesse passar o dia lendo. Agora, retornamos com mais uma matéria especial para esse dia tão único.

Vocês, leitores, conhecem nossa equipe pelos nomes assinados na matéria. No nosso site, também tem um menu “Equipe” com todos os nossos integrantes. Porém, o que essas pessoas que escrevem para vocês estão acostumados a ler? Já pararam pra pensar? Será que tem um gosto similar?

Agora, essa dúvida será sanada. Grande parte dos integrantes da Tribernna preparou um textinho mais do que especial falando um dos seus livros preferidos. Então, sem mais delongas, vamos conhecer os gostos dessa galera?

LUDMILLA MAIA

Oi, meu nome é Ludmilla, sou um das fundadoras da Tribernna, e vim dizer que um dos meus livros favoritos na verdade não é só UM livro… são três. É uma saga! A saga que conseguiu marcar minha vida permanente e até hoje tem um enorme significado pra mim é Jogos Vorazes. Além da história em si ter sido extremamente deliciosa de ler, fluída, rica em detalhes de um mundo caótico (e não tão distante da nossa realidade), com personagens impactantes, intensos, diversos e, algumas vezes, caricatos, foi essa saga que alimentou meu amor por livros. Por causa de Jogos Vorazes a leitura se tornou um dos meus maiores prazeres. Compreender o universo de Jogos Vorazes vai além do que a leitura superficial pode trazer, é muito mais amplo e uma crítica ao sistema que nos assola hoje em dia.

GLADIMIR CARVALHO

 Oi, meu nome é Gladimir, sou redator da Tribernna, e um dos meus livros favoritos é uma saga, na verdade: O Guia do Mochileiro das Galáxias. Eu amo como o livro é fantasioso e como os conceitos que são apresentados nele, apesar de muito simplórios, são muito profundos e filosóficos. E um dos meus trechos favoritos é esse:

“O Universo, como já foi dito anteriormente, é um lugar desconcertantemente grande, um fato que, para continuar levando uma vida tranquila, a maioria das pessoas tende a ignorar.”

READ  FILMES | Finalmente é divulgado o primeiro teaser trailer de “Coringa”

BARBARA SALLES

 Olá, querido leitor, eu sou a Babi e escrevo textos sobre cultura asiática aqui na Tribernna. Hoje, em homenagem ao seu dia, saio do meu escopo para falar um pouco sobre meu livro favorito.

O Lado Feio do Amor caiu em meu colo por uma indicação maravilhosa de uma amiga e ele até hoje é o livro que traz uma boa sensação quando olho ele guardadinho na minha estante. Escrito pela Colleen Hoover, temos nuances do presente narrado pela Tate e do passado narrado pelo Miles. Óbvio que o romance é inevitável, mas cheio de regras e limites que ultrapassam a compreensão do leitor inicialmente.

Ela é uma enfermeira que divide o apartamento com o seu irmão para poupar gastos e evitar burocracias na fase final da sua especialização em enfermagem. Ele é um piloto solitário, vizinho de frente do irmão dela, que perdeu toda e qualquer expectativa que poderia existir no amor. Tinha como alguma coisa dar errado nisso? Claro que tinha, deu e eu amei cada segundo.

Foi a primeira vez que chorei lendo um livro na minha vida inteira (depois dele foi só ladeira abaixo porque eu choro com tudo). Com certeza ele seria um marco histórico e entrou na minha lista de favoritos assim que virei a última página. A escrita do passado é quase toda em prosa poética e dá ao Miles adolescente um ar de sonhador e eterno amante das artes, o que é lindo de ver essa construção e desconstrução em comparação com o Miles do presente narrado pela Tate.

O livro foi lançado, aqui no Brasil, pela editora Galera Record, tem música especial somente para história (se for ler, procura Ugly Love – Griffin Peterson, e, se não for ler, procura também porque vale muito a pena) e eu tenho certeza que vai te fazer derramar pelo menos 1 ou 2 lágrimas.

JESSICA RODRIGUES

 Olá, queridos leitores! Aqui é a Jess e eu faço parte da equipe de redação da Tribernna! Vim aqui rapidinho pra falar com vocês do meu livro favorito, que na verdade não é exatamente um livro e sim uma trilogia: As Peças Infernais, da autora iraniana/estadunidense Cassandra Clare. Essa é uma das minhas histórias favoritas da vida por se tratar de um triângulo amoroso que não consiste apenas em quem vai ficar com quem no final e sim no amor e amizade que os três sentem uns pelos outros. No decorrer da história, várias escolhas precisam ser feitas e, por mais que sejam feitas por amor, impossível que alguém não saia magoado no final. A história é sobre laços inquebráveis e amores imortais, vale cada minuto de leitura!

READ  3T INDICA | Trem Infinito é uma aventura oitentista para ser maratonada de uma só vez

MATÃ MARCÍLIO

 Olá, meu nome é Matã Marcílio. Sou um dos membros da Tribernna. Um dos meus livros prediletos é um pelo qual eu não dava nada antes de ler: Os Criadores de Coincidências, de Yoav Blum. Esse livro é um filme de “dramédia” romântica, tipo, totalmente! No universo criado pelo israelita Yoav, acompanhamos a história de 3 trabalhadores que conspiram a favor das ditas “coincidências do destino”, semelhante ao filme “Os Agentes do Destino”, mas mais voltado para o drama e o romance do que para a ação. Sua narrativa simples e deliciosa acompanha uma história leve e cheia de detalhes importantes para o final do livro, o que faz seu plot twist ser surpreendente, inesperado e digno de derramar lágrimas. Fazendo jus ao fato de que criadores de coincidências precisam pensar em 1001 detalhes para alcançar determinado resultado, Yoav Blum pensa em 1002 detalhes para fornecer uma trama intricada e rica em adições ao universo a cada fim de capítulo, acrescentando conceitos matemáticos e filosóficos de um jeito divertido e acadêmico (no sentido literal da palavra). Comprei este livro por pensar que seria uma história bobinha e me surpreendi bastante. Uma pena que tenha passado batido. E não duvido de que haverá alguma adaptação cinematográfica em breve.

GILCIMAR SANTOS

 Oi, eu sou o Gil, e sou editor da Tribernna. Um dos meus livros preferidos é O Caso Laura, do maravilhoso André Vianco. Escolher um livro favorito é uma tarefa difícil, mas o fato de reler esse livro quase que anualmente me ajudou na escolha. O livro fala sobre uma investigação um tanto quanto paranoica, a pedido de uma pessoa misteriosa, da nossa protagonista Laura, uma mulher frágil, com dores do passado sempre assombrando sua vida. O investigador contratado acaba se aproximando demais da vulnerável Laura e, com o passar da história, ficamos sabendo do motivo da fragilidade da moça e sobre a investigação, que conta com algumas ajudas divinas.

READ  CRÍTICA | “Falcão e o Soldado Invernal” é uma das melhores produções da Marvel

Daqui pra frente é spoiler e pode atrapalhar um pouco a experiência dessa linda história. A narração é fluída, intensa e a gente acaba devorando o livro de uma vez só. E o interessante é descobrir coisas quando relido, de pontinhas que dificilmente ligamos na primeira leitura. E se prepare para se apaixonar pela Laura e pelo seu detetive particular.

PAULO ROSSI

 Oi, sou Paulo Rossi, redator na Tribernna. Um dos meus livros preferidos é Vidas Provisórias, de Edney Silvestre. Amo esse livro por narrar as vidas de brasileiros imigrantes em busca de seus sonhos, mesmo aqueles que saem do país foragidos da Ditadura Militar. Edney tem uma escrita bem dramática e, ao mesmo tempo, meio melancólica, com capítulos separados como se fossem quase cartas. As situações que os protagonistas passam são cativantes, por vezes cruéis e sem rodeios, mas com momentos muito bonitos e inspiradores. Difícil não se emocionar.

HENRIQUE SCHMIDT

 Olá, eu sou Henrique Schmidt e sou colunista aqui na Tribernna. Apontar um livro favorito é bem complicado, porém vou apontar aquele que eu tenho marcado na pele, que na realidade é uma saga: Percy Jackon e os Olimpianos, do Rick Riordan. E faço menção honrosa ao Heróis do Olimpo também. Na realidade, além de Percy Jackson, também tenho Harry Potter tatuado. No entanto, escolhi a saga do filho de Poseidon por ter lido mais recentemente e ser completamente apaixonado e alucinado por TODOS os livros. Ao mesmo tempo que são divertidas, as obras também são reflexivas. É muito gostoso ver os personagens crescerem aos poucos, com laços que se fortalecem e se tornam palpáveis de tão verdadeiros. Eu jamais vou entender a guerra entre os fandons de Percy Jackson e Harry Potter. Pessoal, abracem esses mundos fantásticos, pois não vão se arrepender!

Autor do Post:

Henrique Schmidt

O louco dos livros, filmes, séries e animes. Talvez geek, talvez nerd, talvez preguiçoso, mas com certeza jornalista

Rate article