ESPECIAL VISIBILIDADE BI | 11 personagens dos quadrinhos que são bissexuais

Siga e Compartilhe:

O Dia da Visibilidade Bissexual, 23 de setembro, foi instituído por ativistas dos direitos bissexuais dos Estado Unidos em 1999. Wendy Curry, Michael Page e Gigi Raven Wilbur consideravam que, após a revolta de Stonewall, em 1969, os movimentos de gays, lésbicas e trans ganharam mais visibilidade. Por outro lado, as pessoas bissexuais ainda precisariam lutar pela sua bandeira. A data é uma oportunidade para visibilizar e celebrar a diversidade bissexual, além de combater todas as formas de bifobia. (*)

Hoje (23) resolvemos trazer alguns personagens das histórias em quadrinhos e alguns personagens de adaptações live action de histórias de heróis que contribuem para a visibilidade bissexual, por muitas vezes sem recorrer a estereótipos ultrapassados ou sem apagar a letra B do LGBTQIA+, afinal o B não é de Beyoncé!

#01 MULHER – MARAVILHA

Durante muitos anos a bissexualidade de Mulher-Maravilha ficou subentendida, tendo apenas relacionamentos com homens como protagonismo, especialmente com Steve Trevor, isso não anula que Diana Prince viveu durante sua vida inteira apenas com mulheres e sempre foi muito aberta em dizer que o conceito de amor em Themyscira era muito mais amplo do que apenas heterossexualidade.

READ  BIENAL 2021 | Evento acontecerá presencialmente e virtualmente em dezembro

Felizmente, em Mulher-Maravilha: Ano Um, uma recontagem de sua história de origem, foi colocado de forma bem explícita que Mulher-Maravilha é uma mulher bissexual, tendo já se relacionado com mulheres e homens. Greg Rucka, roteirista da história ainda disse em uma entrevista na época que “A ideia é que a ilha seja uma espécie de paraíso, onde as mulheres são felizes. Elas têm que ter a possibilidade de ter relacionamentos românticos e sexuais. E as únicas opções são outras mulheres“.

Agora só nos resta aguardar ver nos cinemas Gal Gadot fazendo jus a história de sua personagem, e torcer pra Patty Jenkins explorar a sexualidade da heroína além de Steve.

#02 – ROBIN • TIM DRAKE

O terceiro Robin, Tim Drake, teve sua bissexualidade confirmada este ano durante a edição Batman: Urban Legends #6, onde o herói acaba convidando um garoto para um encontro. O herói já teve um relacionamento com outra Robin, a Stephanie Brown por um tempo. Logo, está mais que confirmado que nós temos um Robin bissexual sim e isso é extremamente importante.

A DC Comics publicou em seu blog oficial, explicando o porquê a sexualidade do Robin ser importante e significativa para a história.

“Se você é um membro da significativa comunidade queer da DC, então você já entende porque esse é um grande momento. De fato, você provavelmente esteve esperando por um momento como esse por um longo tempo. Mas, para os não iniciados, me deixem explicar […] Para uma certa porção significativa de leitores do Batman, os Gotham Outsiders (os “marginalizados de Gotham”) que sempre se viram olhando para dentro, esse é um momento que vamos continuar falando sobre e celebrando durante ano. O momento que um Robin, qualquer Robin, mas particularmente um Robin com uma história e um legado e agora com décadas de histórias com elementos queer codificados em seu cinto de utilidades, foi permitido ser o ícone queer que sempre foi”, explica o autor. “Esse não é o fim da jornada de descoberta pessoal de Tim Drake. Só chegamos ao começo”, promete. “Nação Drake, se levante. Não há volta agora”, finaliza Alex Jaffe.

#03 – LOKI

Apesar de ser de conhecimento geral que Loki sempre foi um personagem bem complexo e amplo, a sua versão live action nunca tinha realmente explorado sua sexualidade, até agora. O episódio 3 de sua série solo foi responsável por um diálogo que, definitivamente, marcou a série. “A little bit of both” foi o que definiu canon a bissexualidade de Loki no MCU.

READ  K-NEWS | Kim Seon Ho está em negociações para estrelar seu primeiro filme

No entanto, isso não é uma novidade aos leitores de quadrinhos. Em Jovens Vingadores (vol. 2 #13), escrita por Kieron Gillen, Loki já havia afirmado que não era hétero em 2013. Além disso, o vilão/anti herói, também é gênero fluído, isto é, ele pode “fluir” tanto entre o masculino e o feminino, porém isso ainda não foi explorado no MCU.

#04 – ARLEQUINA  & HERA

Talvez as duas favoritas do público da atualidade (até de Margot Robbie que quer muito uma versão live action da vilã Hera em um próximo filme), Arlequina e Hera passaram por anos e anos de piadas de duplo sentido, de pistas e até mesmo um beijo censurado para enfim serem confirmadas oficialmente como bissexuais.

Ambas vilãs tiveram relacionamentos com homens anteriormente, até se envolverem romanticamente uma com a outra. Além das histórias em quadrinhos, as duas também tiveram seu relacionamento amoroso oficializado na animação Harley Quinn disponibilizado na HBO Max. 

#05 – CONSTANTINE

Um manipulador de magia excepcional, Constantine é um dos personagens masculinos da DC mais populares quando falamos sobre personagens bissexuais. O herói já se relacionou com a heroína Zatanna, em várias adaptações além dos quadrinhos, e recentemente na animação “Liga da Justiça Sombria: Guerra de Apokolips” descobrimos que um dos seus ex é um vilão, o Tubarão-Rei.

Em sua versão live action, principalmente na série Legends of Tomorrow, Constantine teve sua sexualidade explorada através de breves relacionamentos, com Sara Lance e Mark Desmond.

#06 – MULHER GATO

Apesar de nenhuma das suas versões em live action terem abordado sua sexualidade, Mulher Gato é sim uma mulher bissexual! Confirmado em 2015 na edição 39 de sua HQ dos Novos 52, uma das antagonistas mais antigas do Batman, Selina Kyle beija uma mulher.

“Ela já flerta com essa ideia – literalmente, muitas vezes – há vários anos; para mim, isso é mais uma confirmação que uma revelação”, escreveu Genevieve Valentine, a autora que prometeu na época que isso não era um queer bait e que faria parte da história real da personagem.

READ  SÉRIES | Atriz que viveu Caçadora em série das Aves de Rapina retornará para o crossover do Arrowverse

#07 – JERICÓ

Filho do Exterminador, Jericó é um personagem é incrivelmente poderoso, capaz de possuir os outros com facilidade. Nas histórias mais atuais, principalmente na era Renascimento da DC, Jericó aparece noivo de uma mulher na edição Deathstroke #6, no entanto também descobrimos que ele está tendo relacionamento com um homem que está tramando contra seu pai.

Demorou anos e anos para a sexualidade do personagem ser explorada nas hqs, graças a Wolfman e Perez o personagem ganhou um certo destaque na visibilidade de sua bissexualidade. Agora nos resta esperar se na série live action de Titãs, Jericó fará jus a totalidade de seu personagem.

#08 – MERA

Mais conhecida como a Rainha de Atlantida, Mera teve uma fase de sua personagem que a DC resolveu expandi-la e abordar um lado de sua vida que anteriormente ainda não havia sido feito. Em Bombshells a personagem é confirmada bissexual, inclusive teve um breve romance com Mulher Maravilha na edição da história em quadrinhos.

Infelizmente, não vemos muito da sexualidade de Mera explorada nas edições principais da DC, nem em suas versões live action, já que a rainha é casada com o herói Aquaman. Devemos torcer para que no futuro a rainha seja melhor desenvolvida, nem que seja em vislumbres de seu passado.

#09 – NICO

Membro dos Fugitivos e conhecida por seu Cajado do Absoluto, Nico já teve alguns relacionamentos, com homens e mulheres, porém o mais famoso entre eles foi com Karolina Dean, que não está presente apenas nas histórias em quadrinhos e sim também na série live action de Fugitivos.

#10 – MÍSTICA

Apesar das suas adaptações em live action ignorarem completamente sua bissexualidade, Mística, a vilã dos X-Men, é sim uma mulher bissexual. Embora já tenha se relacionado com diversos personagens masculinos, como o Wolverine, Deadpool e até o Homem de Gelo, o grande amor da vida de Mística foi Irene Adler, a Sina. Inclusive as duas compartilharam a experiência de cuidar de sua filha adotiva Raven, a Vampira.  

Autor do Post:

Ludmilla Maia

administrator

25 anos. Criadora e uma das fundadoras da Tribernna, escrevo pra internet desde 2016. Amo podcast como amo cultura asiática e heróis. Nas horas vagas, concurseira e bacharel em direito.

Um dia eu te conto o que significa o nome “Tribernna”.

    Continue Reading

    Previous: FILMES | “Casa Gucci” ganha data de estreia nos cinemas do Brasil
    Next: CCXP 2021 | Inscrições para o o Artists’ Valley abrem hoje (23)
    Rate article