RESENHA | “Aladim” é interessante por apresentar outra perspectiva

RESENHA | Aladim 'e interessante por apresentar outra perspectiva photo 0 3T INDICA
Siga e Compartilhe:

Todo mundo conhece Alladin, tanto a animação quanto o filme da Disney. Enquanto as crianças estão mais preocupadas em se divertirem com a aventura, parte dos adultos sabe que a história não teve a origem em Hollywood, mas teria sido contada por Sherazade e apresentada no livro “Mil e Uma Noites”. Agora, em uma nova edição, “Aladim – Nova versão do Conto Clássico”, por Yasmine Seale e Paulo Lemos Horta, é possível ter uma nova perspectiva.

A leitura é muito rápida, sendo que o livro conta com menos de 150 páginas. Além disso, é superinteressante ver a história de Aladim por uma nova perspectiva, longe das telas dos cinemas ou da televisão. Há tantas mudanças que chegaram a me surpreender, principalmente pela animação da Disney ser um dos meus filmes preferidos da vida.

Para começar, não existe nosso querido e amado macaquinho Abu, assim como não existe um tapete voador. Em compensação, são dois gênios: um do anel e um da lâmpada e o número de pedidos é ilimitado, aparentemente. Aladim, ademais, não é órfão. Jasmine, por sua vez, não tem um tigre e não se chama Jasmine, mas Badr Al Buldur, e tem o mesmo pai “babão”.

Na realidade, a história também se passa em parte da China e não na “Arábia”, como dito em uma das músicas do filme. Apesar de todas essas diferenças citadas, além de muitas outras, o livro “Aladim – Nova versão do Conto Clássico” também é bastante divertido e interessante.

Eu admito que eu fiquei mais preso por essas diferenças. Afinal, agora, aos 29 anos, que li pela primeira vez a história. Antes eu só conhecia os filmes. Logo, essas diferenças foram o que mais me interessaram. Ver o desenvolvimento sendo feito diferente, conhecer um Aladim diferente, uma princesa diferente, um vilão diferente, foi bastante envolvente.

READ  FILMES | Curta-metragem brasileiro, ‘Ímã de Geladeira’, estreia nos EUA neste sábado

Este livro, em específico, também é interessante por contar as origens da história no prefácio, dando destaque para a forma que ela foi conhecida, sua possível origem de verdade, onde foi publicada pela primeira vez, entre outras coisas. Ademais, fisicamente falando, venhamos e convenhamos, é uma edição belíssima, né?

Acredito, porém, que esses são os principais pontos do livro “Aladim – Nova versão do Conto Clássico”. A curiosidade em conhecer a história por trás dos filmes precisa ser verdadeira. Pois, senão, obviamente, os filmes da Disney são extremamente mais divertidos e visualmente encantadores. No entanto, vale à pena a leitura.

Autor do Post:

Henrique Schmidt

administrator

O louco dos livros, filmes, séries e animes. Talvez geek, talvez nerd, talvez preguiçoso, mas com certeza jornalista

    Continue Reading

    Previous: RESENHA | “O Homem da Casa 7” é um ode à cultura
    Rate article