CRÍTICA | ‘My Unicorn Girl’, a dosagem necessária do conteúdo de 2006 invadindo as telinhas chinesas e o coração das dorameiras

Siga e Compartilhe:

Vamos falar de cdrama? Eu tenho uma leve relação de amor e ódio com dramas chineses… é bem complicado porque, diferente dos dramas coreanos, a China consegue ainda se prender a um pensamento bem fechado sobre relacionamento e o comportamento da mulher na sociedade, então achar um drama que me faça esquecer certas atitudes de personagens e ainda me dê ânimo e força para assistir os mil episódios que lançam e as vezes sem dia certinho bonitinho… é bem complicado.

É por isso que My Unicorn Girl se tornou tão especial, primeiro de tudo: eu maratonei, não conseguia fazer outra coisa da minha vida além de pensar no próximo episódio e torcer para que desse tudo certo com o casal principal. Em segundo lugar: são só 24 episódios com média de 40 minutos, então eu assistia tranquilamente 1 episódio em cada folga que aparecia durante o dia e simplesmente ia me tornando a pessoa mais feliz do mundo aos pouquinhos alerta de exagero

Antes de mais nada, My Unicorn Girl se encaixa perfeitamente em um remake chinês de Ela é o cara, Sang Tian (Sebrina Chen) é uma jovem prestes a entrar na faculdade dos sonhos e está concorrendo a uma bolsa de estudos na equipe de patinação artística, mas infelizmente as coisas não saem como planejado e ela não consegue entrar na seleção, até que ela se vê com a opção de tentar vaga no time masculino de hóquei (adendo para: ela nunca na vida jogou hóquei, sua paixão sempre foi patinar no gelo, mas qualquer coisa além disso estava fora de cogitação). O time estava em total desfalque e precisava recrutar absolutamente qualquer pessoa que aparecesse, então ela tem a sorte de ser selecionada, o problema é que ela vai ter que morar no dormitório masculino, fingindo ser uma rapaz, e dividir o quarto com um dos seus arqui-inimigos, e é então que começa o enemies to lovers. Wen Bing (Darren Chen) é o capitão do time de hóquei da faculdade e é totalmente contra o ingresso de Sang Tian na equipe, o que só torna ainda melhor a relação de amor-ódio dos dois.

READ  SÉRIES | Prime Video divulga o purimeiro teaser da 4ª temporada de Maravilhosa Sra. Maisel

Então os problemas começam: ela precisa cronometrar as horas de uso no banheiro comunitário, sempre estar atenta as bandagens que parecem não ter fim e sempre ter muita cautela com os seus amigos de time. Seu principal objetivo era conseguir a vaga na patinação artística, mas ela acaba se encontrando no hóquei de uma forma mágica. Como sempre, por ser a mais franzina do time, ela passa mais horas treinando do que qualquer outro integrante, e é a base de muito esforço (no começo sozinha e depois trabalhando em equipe), ela consegue se tornar uma das melhores jogadoras e o time consegue alcançar muitas conquistas depois disso.

Minha real surpresa foi com a atuação de Darren Chen, eu já vinha de uma péssima experiência em Jardim de Meteoros, então minha expectativa estava lá no chão, apesar dele ter sido um dos meus personagens favoritos do F4 (o menos retardado de todos, talvez?). Mas eu engoli qualquer crítica que tinha sobre o ator, ele deu um show de carisma, humor e romance e me provou por A+B que em Jardim de Meteoros ele era só o efeito de um roteiro e adaptação ruim.

Darren e Sebrina mostraram ter muita química não só como um casal, mas logo no comecinho quando ele descobre sua farsa e ainda assim a defende sem mesmo que ela saiba que ele já sabe (que confusão), os dois tinham uma sintonia praticamente mágica e foi isso que me fez colocar o meu primeiro drama chinês na minha lista tão seleta e criteriosa de Doramas favoritos.

O drama não traz nada de novo, não tem um roteiro mirabolante e nem uma história revolucionária, nós já vimos essa receita dando certo em inúmeras obras americanas e o plot acaba se tornando um queridinho. O interessante é que parece que a China está um pouco para trás no quesito “qual a novidade do momento”, enquanto Ela é o cara faz aniversário de 15 anos de lançamento, My Unicorn Girl traz de volta, em 2020, o gostinho que é o enredo da garota que finge ser um garoto para conseguir atingir algum objetivo.

READ  CRÍTICA | Drive My Car consegue abordar com sensibilidade o sentimento mais solitário: o luto

Dirigido por Yu Zhong e com roteiro de Fan Kan e Fang Qiang, o drama consegue englobar: romance, amizade, lealdade, esporte, crise existencial na faculdade, um pouquinho de química e ensinamento sobre o verdadeiro significado dos nossos sonhos na nossa vida. As vezes a gente quer tanto determinado resultado que acaba esquecendo  o quanto nossa vida será afetada por isso, é importante entender os nossos limites e saber abrir mão do que um dia foi nossa prioridade número 1.

My Unicorn Girl está completo e disponível no Viki Plus. Confira o trailer a seguir

Nota: 5/5

Avalie a produção!

Autor do Post:

Barbara Sales

administrator

A dorameira que, de vez em quando, se perde na lista de dramas, mas que sempre está adicionando coisas novas. Aprendiz da Corvinal, gosto de ler uns livros aqui e acolá e, raramente, escrevo sobre. Amante de fantasias e romance (não necessariamente na mesma ordem).

    Continue Reading

    Previous: CRÍTICA | Netflix começa bem sua temporada natalina com “Um Match Surpresa”
    Rate article