CRÍTICA | Bem humorado, “Amor com Fetiche” traz cenas sensuais e o falso moralismo coreano

Siga e Compartilhe:

Estrelado por Seohyun (Girl’s Generation) e Lee Jun-Young, “Amor com Fetiche” estreou na Netflix ontem (11) trazendo ao mainstream uma comédia-romântica apimentada ao ponto de fazer o Christian Grey morrer de inveja.

Em Amor com Fetiche, conhecemos Jung Ji Hoo (Jun-Young), um homem conhecido por ser franco, frio, certinho, e adorado por suas colegas de trabalho. Até que um dia um do seus maiores segredos é descoberto pela sua colega de trabalho Ji Woo (Seohyun). Após esse acaso, os dois chegam a um acordo, fazendo com que ambos embarque em um romance atrevido e recheado de fantasias de dom/sub. 

Primeiramente gostaria de dizer que ao fim do filme eu pensei imediatamente: como eu queria que fosse um dorama! A verdade é que há tanta história para ser explorada que 1h58min chega ser pouco para a trama. O desenvolvimento, por mais que tenha sido muito bom, deixa a desejar em alguns momentos pela sua rapidez na resolução dos conflitos.

Ainda assim, o filme não deixa de ser algo realmente gostoso de assistir. Em tudo que se propõe a entregar é feito na medida certa, a comédia é pontual e inserida em momentos de tensão pra deixar a trama mais leve. O romance é alimentado gradativamente, em sub textos da trama, não sendo o foco principal mas se fazendo presente a todo momento. E, por fim, a tensão sexual que se instaura em diversos momentos é avassaladora. Seja na ambientação, especialmente pelas cores, ou no desempenho dos atores que se entregaram de cabeça, Amor com Fetiche é extremamente sensual sem apelar para o explícito.

Um dos pontos mais interessantes da trama é que ele transforma em um drama o fato do protagonista não pode ser sincero com suas preferências sexuais. É delicado e chega até ser um pouco emocionante em alguns momentos, quando nos apegamos a ele e vemos sua insegurança exalando. Ao fim, fica ainda melhor, quando a falsa moralidade dos que julgam é exposta, mostrando quão hipócritas são.

READ  LIVROS │ Lançamentos da Editora Arqueiro no mês de fevereiro

Seohyun surpreende os fãs com uma atuação dominadora, marcante e agressiva (no melhor sentido da palavra). Sua química com Jun-Young é palpável e nos faz pedir por mais. Jun-Young também ganha destaque por dar vida a um personagem com dilemas e conflitos internos, se entrega nas cenas mais constrangedoras e transforma em algo erótico.

Amor com Fetiche é um filme que arranca suspiros e entrega cenas quentes maravilhosas, mas mantém a leveza de uma comédia romântica, quebra alguns tabus e traz ao mainstream uma temática que só vemos no cinema coreano mais underground. 

Nota: 4/5

Avalie a produção!

Autor do Post:

Ludmilla Maia

administrator

25 anos. Criadora e uma das fundadoras da Tribernna, escrevo pra internet desde 2016. Amo podcast como amo cultura asiática e heróis. Nas horas vagas, concurseira e bacharel em direito.

Um dia eu te conto o que significa o nome “Tribernna”.

    Continue Reading

    Previous: CRÍTICA | “KIMI – Alguém Está Escutando” aposta em um black mirror batido
    Rate article