CRÍTICA | O final de Cavaleiro da Lua: corrido e cheio de ponta solta, como a Marvel gosta

Siga e Compartilhe:

Depois do lançamento do penúltimo episódio de Cavaleiro da Lua, alguns rumores circularam pela internet dizendo que seu episódio final teria cerca de 3h30. Felizmente (ou não) o episódio veio com seus costumeiros 40 e poucos minutos.

Provavelmente andarei por alguns spoilers nessa crítica, então se você quer saber o que achei desse final antes de assistir: não me empolgou, mas também não me frustrou. Ficou tudo na esfera do mediano, para mim.

O episódio começa de onde terminou o quarto episódio. Se no episódio passado vimos a saga de Marc e Steven no pós vida, na primeira parte do episódio final vemos o que aconteceu na Terra enquanto isso. Harrow consegue libertar Amit e virar seu avatar, enquanto Layla se infiltra no seu grupo de seguidores para tentar derrotar Harrow. Tauret entra em contato com Layla através de corpos para mandar uma mensagem para libertar Konshu, enquanto Marc tenta resgatar Steven e voltar dos mortos. Com tanta coisa para resolver faltando cerca de 30 minutos, o roteiro teve que correr para dar conta de tudo.

Após se tornar avatar de Amit, Harrow consegue derrotar o avatar de outros cinco deuses de uma vez só e de uma forma que você nem entende o que aconteceu, se isso era uma demonstração da sua força, não faz sentido porque ele não a usou no confronto final. Enquanto Konshu vai até Marc para recuperar seu avatar, Layla aceita um acordo para ser o avatar temporário de Tauret. Layla ganha seu próprio uniforme de avatar que não faz sentido nenhum, está muito próximo da deusa Ísis, que se aproxima de uma ‘mulher-pássaro’, do que da própria Tauret que é uma hipopótama. Inclusive essa cena que era para ser algo engraçado (e deslocado) no meio do momento de tensão se tornou um momento ‘cringe’, já que a atriz May Calamawy não conseguiu segurar interpretar duas personagens com tons tão diferentes na mesma cena. Outra coisa que acontece nesse ponto, e que vai fazer sentido mais pra frente, é Konshu prometendo libertar Steven e Marc depois de derrotarem Amit (quem conhece o Cavaleiro da Lua das HQs já tinha fortes suspeitas do que ia acontecer).

Na batalha final temos uma montagem paralela visualmente muito bonita do Amit x Konshu com Harrow x Marc/Steven e Layla. Layla por vezes nessa batalha salva o Cavaleiro da Lua como se ela fosse a avatar mais experiente naquela situação. Mas a barra forçada para dizer que teve uma mulher heroína na série a parte, a sequência demonstrou o quanto a série evoluiu em efeitos especiais do primeiro episódio até o seu último, além de Oscar Isaac se demonstrar mais uma vez espetacular interpretando duas personalidades durante a batalha.

READ  SÉRIES | Revelado o primeiro trailer do revival de Punky, a levada da breca

Aí chegamos no derradeiro final do episódio, quando o Cavaleiro da Lua está prestes a ser derrotado, Marc tem um apagão e voltamos com todos já derrotados (coisa já que já havia acontecido anteriormente). A partir daí eles conseguem derrotar Amit e Harrow, Konshu liberta Marc/Steven e as duas personalidades vão viver as suas vidas, dessa vez em sintonia. Layla se tornou uma personagem importante e simplesmente não teve um final. E muitas mais coisas ficariam soltas se não fosse a cena pós-crédito. Nela o que já era suspeita por vários se tornou real: Konshu libertou Marc e Steven, mas manteve uma das personalidades, até o momento não revelada, como seu avatar: Jake Lockley. Inclusive essa personalidade mata Harrow, acabando de vez com a ameaça de Amit. A persona de Jake Lockley se demonstrou ser mais violenta e fria que as outras duas, e provavelmente vai ser mais explorada em uma possível segunda temporada ou em outras produções.

A série precisou alterar a história e a personalidade das identidades Marc-Steven-Jake em relação aos quadrinhos em prol da narrativa que queria criar. Cavaleiro da Lua se engrandece por trazer algo diferente do que a Marvel tem feito, explorando o psicológico do seu personagem e introduzindo os deuses egípcios. Mas enquanto uma obra, deixa a desejar com um roteiro fácil e uma mistura de comédia e mistério que por muitas vezes caiu mais para o tosco que para o espontâneo. Oscar Isaac e Ethan Hawke são os destaques do show, mais uma vez entregando trabalhos espetaculares, como estamos acostumados com esses atores. Estou curioso para ver os desdobramentos dessa série no MCU, já que ela não se conecta com nada já firmado no universo, diferente das outras séries já lançadas até então.

READ  SÉRIES | Revival de Mad About You ganha data e primeira imagem oficial!

Leia aqui a análise de todos os episódios de Cavaleiro da Lua.

NOTA: 3/5

Avalie a produção!

Autor do Post:

Hector Sousa

administrator

Sergipano. Bacharel em Cinema e Audiovisual. Cineasta, podcaster e improvisador. Escreve para Tribernna sobre cultura pop. Amante daquele pagodinho e fã do Miles Morales.

    Continue Reading

    Previous: SÉRIES | Paramount+ divulga trailer de Star Trek: Strange New Worlds
    Rate article